Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Rai's Parta Os Homens...

 

...daquela-tv-por-cabo-do-anúncio-dos-gatos-fedorentos!!!

 

 

Opá, não basta eu ter aquele "problemazinho" que não consigo adormecer facilmente e, por isso, acordar menos cedo (neste momento não preciso de madrugar, thank God!), como agora ter uns marmanjos a perturbarem o meu descanso!

 

Há dois dias que acordo - quase de madrugada - com a linda música de fundo de puxanço de fios e ranger de escadotes e ainda dois brazucas a gritar um para o outro "chega?", "puxa daí" e coisas afins! Acho que merecia ser acordada, digamos, com mais meiguice... Humpf!

 

Bom, de qualquer maneira, HOJE É SEXTA!!! IUPIIII!!!

 

 

Lavar as Vistas...

Como que quero que as meninas que frequentam o meu blog andem contentinhas e felizes, resolvi dar-vos um miminho.

 

Aproveitem para lavar as vistas e depois digam alguma coisinha...

 

 

 

 

 

Estes dois são bónus... Mas não abusem senão pagam multa!!!

 

 

 

Os meninos que por aqui passam,não precisam de ficar zangados. digam lá o que gostam que eu ponho aqui qualquer coisinha... (cof!cof!)

 

Homens na Mira

 

Somos afamadas de ser complicadas, mimadas e outros predicados terminados em –adas, como por exemplo, tramadas. Somos sempre nós a pagar as favas. A culpa é sempre nossa. Aqueles clichés todos que vocês tão bem conhecem.

 

Os homens têm uma perspectiva diferente das coisas, é certo. Deve ser algo genético. O pior é quando esta questão genética se alia a um feitio, digamos, menos bom.

 

Há uma coisa, nos homens, que me irrita solenemente: são respostas parcas. Imaginem que vão jantar fora e que são vocês a sugerir o restaurante. Mas o vosso companheiro discorda. A reacção óbvia da vossa parte é perguntar:

- Porquê?

- Porque sim… - responde ele.

- Oh, diz lá porque é que não queres ir ao restaurante… - perguntam vocês meio às “aranhas”.

- Porque não!

- Hummm… Mas tens algum motivo forte para não voltares a colocar lá os pés? – tentam vocês perceber .

- Não… - responde enquanto manuseia o seu jornal desportivo favorito.

- Então e onde te apetece ir? – o vosso estômago começa a roncar.

- A qualquer lado…

- Então vamos àquele… – o desespero e a fome são aliados potentes.

- Não me apetece.

- Não te apetece? Porquê? – a paciência começa a esgotar-se.

- Porque não… - glup!

 

Pescadinha de rabo na boca. É como eu chamo a este tipo de conversa. Sinceramente, homens, digam lá que esta conversa não é típica vossa?! E com este tipo de resposta ainda acham que nós somos complicadas e chatas. Mas no fim das contas, nós só queremos compreender o porquê das vossas respostas. Custa assim tanto dizer “não me apetece porque blá, blá, blá” ou “não gosto porque blá, blá, blá”. A palavra-chave é o “porque”.

 

Este tipo de atitudes é que despoletam situações de crise entre muitos casais. Pode parecer-vos estúpido mas não é. São reveladoras de teimosias estúpidas e de uma falta de diálogo por mesquinhez. Com isto, o que acontece é que, inconscientemente ou não, vão fazendo com que as vossas companheiras se afastem de vocês, deixem de partilhar os seus pensamentos e preocupações com quem partilham a vida. É isso que vocês pretendem? Parece-me que não…

 

Sejam felizes, evitem este tipo de situação, digam às vossas companheiras o “porque” das coisas (para elas é tão importante) mesmo que para vocês ito vos pareça desnecessário.

 

Por natureza, os homens e as mulheres são diferentes. Vocês não estão dispostos  a fazer os sacrifícios que nós estamos. Mas pensem um bocadinho em nós. Prometem?

 

DEZ TIPOS DE HOMENS (dos quais devemos fugir…)

                

O OPORTUNISTA

É aquele homem que entra na nossa vida caído do céu, precisamente na altura em que estamos carentes, frágeis, desoladas e revoltadas devido a tantas tentativas de relações frustradas. Inesperadamente, ele mostra-se atencioso e preocupado. Está ao nosso lado, promete e cumpre. ZÁS…! Ele é um “príncipe encantado” e é aí que nos apaixonamos. E é aí que as coisas começam a dar para o torto. Ele começa a por o pé na argola e nós a perdoar. Quem tem coragem de por um fim a uma relação com o “namorado perfeito”?

 

O PREGUIÇOSO

Certamente que tem muitas qualidades mas a sua qualidade maior é estar sentado no sofá a ver futebol. O seu mundo gira à volta daquele sofá. Nem para ir buscar uma cerveja e amendoins se levanta pois tem a escrava para o fazer. E nós fazemo-lo dedicadamente! Sair para jantar fora ou ir à disco ou estar com os amigos? Naaa… ninguém o arranca dali. No máximo, recebe uns amigos para se sentarem ao seu lado e continuar a ver TV. E nós? Nós, ou alinhamos no “senta no sofá” ou saltamos fora!!! Quem aguenta uma vida passada entre sala e cozinha a fazer vontadinhas ao “senhor”?

 

O BANANA

Gosta tanto de nós que até enjoa!!! AAAArgh!!! Ele é o máximo e faz tudo por nós. E é precisamente este o problema pois aceita tudo placidamente, sem discussões. Nós é que escolhemos tudo: o restaurante, o filme, a viagem, a roupa… BOOOORING!!! Quanto não vale um esgrimir de opiniões para escolher o restaurante onde vamos jantar? Então se formos nós a ganhar o jantar sabe a Manjar dos Deuses!

 

O INCONSTANTE

Não sabe viver sem nós. Mas também não sabe se quer viver connosco. Assim, vive em eterno conflito interno. Se nós terminamos a relação, ele fica destroçado e vem atrás de nós para remediar as coisas com falinhas mansas. Se nós cairmos na sua conversa, vai recomeçar tudo de novo!... Vale a pena mudar de planeta, não?

 

O CONTROLADOR

Está sempre em conflito connosco para ser ele a “controlar” a relação: quem beija melhor, quem é mais amoroso, quem gosta mais… Ao fim e ao cabo, isto só revela insegurança e baixa auto-estima! Cuidado para não sermos manipuladas, caso ele se revolte por termos mais auto-estima que ele. Se tiver oportunidade, vai virar o jogo até dar connosco em doidas!

 

O MANDÃO

É ele que manda nas nossas vidas mas nós não mandamos na dele. A relação subsiste em função da agenda e disponibilidade dele e quando nós queremos sair ou precisamos que ele nos acompanhe ao jantar da empresa, nunca tem tempo. Mas ele é tão espectacular e gentil e a sua desculpa tão boa que nós, pobres mulheres apaixonadas, nem conseguimos descobrir se é verdade ou não. Relações de “agora não tenho tempo”, não obrigada!

 

O MULHERENGO

Está sempre com as “antenas no ar” e não lhe escapa nenhum ser da espécie feminina. Mesmo que vá de mão dada connosco, se lhe passar uma beldade pela frente, não resiste a mirá-la de cima abaixo e se for preciso mandar um piropo. Nós ficamos com cara de tacho e chateadas mas não ganhamos nada com isso pois ele não tem consideração por nós. Não queremos partilhar a atenção do nosso namorado com beldades que se cruzam no nosso caminho. Toca a fugir…!

 

O TRAUMATIZADO

Vive em função das memórias da relação com a sua ex-namorada. Para ele, todas as mulheres são iguais (a ela). Vive cheio de tristeza, amargura e crises existenciais em vez de viver o nosso relacionamento. Consequentemente, a nossa relação é constituída por grandes conflitos e grandes ferimentos desferidos pelo nosso namorado. Haja paciência e força nas pernas para fugir desta relação!

 

O MENINO RICO

Liga mais à aparência do que à essência. É cheio de dinheiro e tem uma casa no melhor condomínio fechado e um carro espectacular, último modelo. E muuuuitas mulheres a flutuar à sua volta. Trata-nos como se fossemos um objecto e não temos direito a abrir a boca para reivindicar o que quer que seja. Temos de estar sempre super-bem para ele nos poder mostrar aos amigos como se fôssemos um animal de estimação. Futilidade? Hummm… Passo!

 

O INTELECTUAL

Parece inteligente, sensível e versado em vários assuntos da actualidade. Parece ser maravilhoso. Só tem um defeito: não te deixa falar, não dá importância às tuas opiniões e sugestões e tem sempre um ar de superior com o nariz arrebitado. Que raiva! Que é que quer um namorado que pensa que é o centro do mundo?!?

 

HOMENS, BAH!!!

Por definição, o Homem é um ser humano do sexo masculino, animal bípede da família dos primatas, pertencente à subespécie Homo sapiens sapiens.

 

Há-os amigos, amantes, amorosos, bananas, indiferentes, songas-mongas, sacanas, sinceros, mulherengos, sem iniciativa, impotentes, assanhados, meninos da mamã, beijoqueiros, carentes, fofinhos etc.

Poderia enumerar um sem fim de adjectivos para falar e qualificar o sexo oposto. Mas isto é só um pretexto para dissertar sobre os homens.

Todos nós procuramos a nossa “cara-metade”, a pessoa com quem nós queremos partilhar a nossa vida, viver as nossas alegrias e as tristezas. E não me venham dizer que isto não é verdade… Ninguém está feliz sozinho. Nem que seja por momentos, todos precisamos de alguém.

É pena que quando conhecemos um homem, ele não traga uma carta de referência, um currículo ou um “book”. Só para podermos analisar a pessoa antes de nos envolvermos e para sabermos com o que podemos contar. Depois há quem defenda que os homens deviam trazer manual de instruções, mas isso é outra história…

Conheço várias amigas com necessidades diferentes em relação à subespécie Homo sapiens sapiens.

Há a desesperada para fisgar um, há a carente e decepcionada, e há aquela que tem a mira da pontaria desacertada.

Comecemos pela primeira. Anda desesperada e corre os chats todos do planeta à procura de um homem para casar. Assim que tem um primeiro encontro, desata a falar em casamento, o que faz com que esse homem e os restantes num raio de 100 kilómetros se evapore misteriosamente. Julga os homens todos à semelhança de um ex-namorado que a deixou muito traumatizada. Por este motivo, os outros já estão classificados e catalogados mesmo antes de abrirem a boca – são todos iguais!

Caso número dois. Trocou Lisboa por um amor ardente e prometedor. Esse amor deu frutos e nasceu a minha linda xobinha. Mas ele depressa se acomodou e relegou a família para segundo plano. Ela sente-se carente, decepcionada e só. Faltam-lhe os miminhos, a companhia e a atenção dos primeiros tempos.

Chegámos ao último caso. Após o divórcio de um casamento castrador, ela libertou-se, modificou-se, ficou mais bonita… Ficou com outra energia, nem parecia a mesma!

Mas, tal como eu disse atrás, todos precisamos de alguém. Ela está nessa fase e tem conhecido muitos candidatos que acabam por se revelar tentativas frustradas.  O último caso, em que eu tinha bastante fé apesar de ela nunca mo ter apresentado, acabou por se ir desvanecendo devido a problemas pessoais dele. No entanto, eu acredito que quando ela menos esperar, vai encontrar alguém que goste dela e a mereça.

No fim das contas, andamos todas à procura do homem perfeito!